APRESENTAÇÃO

Resistir e (Re)existir!
Os tempos são bicudos, sombrios, nebulosos, difíceis…
A sobrevivência da arte, pela arte, e com a arte, que sempre foi uma tarefa das mais hercúleas, hoje ganha um teor utópico ainda maior, diante a ameaça que ela oferece àqueles cujos interesses pessoais atropelam o bem comum.
Para combater a intolerância, a escuta; Para combater o ódio, o olhar; Para combater o individualismo, o grupo; Para combater a exclusão, o público. E vamos ao público!
O Festival O Mundo Inteiro é um Palco surgiu em 2013, para comemorar os 20 anos dos Clowns de Shakespeare. Desde então, vem crescendo a cada edição, agregando parcerias no campo artístico, empresarial e, em especial, junto à sociedade, o público.
Em 2016, em meio à crise política e econômica que assola o país e o mundo, e em especial à implantação do estado de exceção no Brasil, não conseguimos fechar um grande patrocínio que garantisse a realização do festival. O caminho para que essa história não fosse interrompida foi a busca pelos parceiros, e uma proposta de realizar o festival sob a bandeira da resistência. E aqui estamos.
Como a gente de teatro tem a subversão no seu DNA, acabamos fazendo, todos juntos, e com o menor financiamento destes quatro anos, a maior edição d’O Mundo Inteiro é um Palco, com 31 apresentações e a participação de 25 grupos de 07 estados do país levando o seu trabalho ao público natalense, em 09 espaços da cidade.
A atitude é da ação. Propositiva, positiva, afirmativa. Estamos vivos, e sabemos que precisamos nos reinventar para nos mantermos ativos. Resistir e reexistir. Resistência e (Re)existência!

Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare e uma Lapada de Grupos.
Realizadores do Festival O Mundo Inteiro É Um Palco – Ano IV

PROGRAMAÇÃO POR DATA

A invenção do Nordeste – Grupo Carmin (RN)

,

Transpor as nuances do amor para a cena é o início de tudo. MARÉ surge como uma alusão à forma que encaramos e estereotipamos o híbrido deste modo de se relacionar. Uma metáfora sobre a modificação, sobre os diversos níveis, sobre as intensidades e profundidades deste sentimento tão complexo.

Maré – CIDA: Coletivo Independente Dependente de Artistas (RN)

,

Transpor as nuances do amor para a cena é o início de tudo. MARÉ surge como uma alusão à forma que encaramos e estereotipamos o híbrido deste modo de se relacionar. Uma metáfora sobre a modificação, sobre os diversos níveis, sobre as intensidades e profundidades deste sentimento tão complexo.

(Eu)Fêmea – Rozeane Oliveira – CIDA: Coletivo Independente Dependente de Artistas (RN)

,

O SER MULHER em constante mutação que sublinha ora a precariedade e o nomadismo da consciência e da existência ora as aleluias e as agonias desse ser. Carrega para si o empoderamento e firmeza do seu (Eu) que impulsiona a Fêmea no íntimo do olhar.

Cortejo de Encerramento da ABRACE – Grupos de Cultura Popular da Vila de Ponta Negra (RN)

,

Iniciado em 2004, como uma ação do Projeto Encantos da Vila/DEART/UFRN, o Cortejo cultural da Vila de Ponta Negra foi pensado como uma expressão de resistência e de divulgação da cultura tradicional e contemporânea da Vila. Integrado historicamente por Grupos como Congos, Pastoril, Bambelô, Coco de Roda, Boi, Lapinha, Capoeira, Percussão e por grupos convidados, bem como por Grupos artísticos das escolas locais e por representantes de movimentos sociais da Vila e da cidade, o Cortejo segue pelas vielas, revelando aspectos da poesia e da luta desses grupos em se manterem vivos, mesmo diante da dura realidade configurada pela ausência de políticas públicas voltadas ao fomento e a sustentabilidade dos mesmos. Assim, em meio aos encantos da Vila e aos gritos (musicais e dançantes) presentes no cortejo, a Vila vai às ruas, às janelas e às portas para vivenciar e evidenciar suas causas culturais!! Venha junto conosco!!!

La Razón Blindada – Malayerba (Equador)

,

A obra é baseada em “Dom Quixote” de Cervantes, “A verdade sobre Sancho Pança” de F. Kafka, e nas narrações que fizeram Chicho Vargas e outros presos políticos da ditadura argentina dos anos 70, nas imediações da prisão de Rawson.

Danação – Eduardo Moreira (MG)

,

Um homem narra memórias do tempo vivido por ele dentro do coração de uma mulher, onde conviveu com uma menina que se escondia da morte. Mas nada parece estar evidenciado na memória dele, que se empenha no exercício de lembrar e inventar formas de contar essa história

Rei Lear – Remo Produções Artísticas (PE)

,

Esta obra-prima trágica é encenada apenas com três atrizes vivendo dezenas de personagens em diálogo com trilha sonora ao vivo - um encontro entre a música eletrônica e a música popular. A trama discorre sobre o monarca da Bretanha que, ao chegar à velhice, se vê obrigado a dividir o reino entre suas três filhas.

A Casatória c’a Defunta – Cia. Pão Doce de Teatro (RN)

,

Cinco atores em “pés-de-banco” contam a história do medroso Afrânio, que está prestes a casar-se com a romântica Maria Flor, mas acidentalmente casa-se com a fantasmagórica Moça de Branco, que o leva para o submundo.

Nuestra Señora de las Nubes – Malayerba (Equador)

,

A obra tem dois personagens protagônicos: Oscar e Bruna. Eles se encontram por azar em um lugar que não é o deles, em uma terra estranha, e estabelecem uma relação de amizade ao reconhecerem-se como oriundos de um mesmo povoado: Nuestra Señora de las Nubes.

Basta Ter a Coragem – Gaya Dança Contemporânea (RN)

,

O amor e suas várias formas é a base de construção desse espetáculo que nasce dos anseios e das vivências dos intérpretes/bailarinos com o seu ato individual de

DISSOLVA-SE-ME – LUME (SP)

,

DISSOLVA-SE-ME é um espetáculo que fala de esquizofrenia, de limites, de saltos, dança e performance já que ser Wi-Fi cansa! Cansa?

Cartas Para A Alemanha – Elze Maria Barroso (RN)

,

Ao relembrar passagens do término de um relacionamento amoroso, a atriz/performer convida os espectadores a ouvirem seus espaços íntimos e explorar os limites entre o real e o ficcional.

Cortejo de Abertura – Boi Galado (RN) e Boi Marinha (PE)

,

Boi Marinho e Boi Galado se juntam mais uma vez para abrir o mais lindo e querido festival do mundo inteiro. Porque se amam e porque se divertem muito nessa dia...

Circo Alergia – Grupo Garajal (CE)

,

A obra conta a história de um grupo mambembe que usa suas habilidades nas artes circenses para conquistar o seu público, passeando por todos os cantos com sua alegria. Quando um dos palhaços chega atrasado e fica fora dos números como castigo, está armada a confusão que tirará gargalhadas de todo o público.

Tratados de Mim Mesma na Infertilidade – Sociedade T (RN)

,

Com uma abordagem feminista, em cena nos deparamos com um fluxo intenso dos pensamentos de uma mulher fragmentada em quatro personalidades vividas pelos intérpretes Mariana Batista, Rozeane Oliveira, Moisés Ferreira e Pablo Vieira.

Gosto de Flor – Arkhétypos Grupo de Teatro (RN)

,

Quatro homens falando de amor, quatro corpos que dançam suas memórias, suas dores, seus desejos e suas emoções. Entre eles uma flor, que é sentida, cheirada, saboreada, compartilhada e dilacerada num jogo de sedução e desejo... Bocas, corpos e saudades que deixam no ar um gosto de flor...

PROGRAMAÇÃO POR LOCAL

A invenção do Nordeste – Grupo Carmin (RN)

,

Transpor as nuances do amor para a cena é o início de tudo. MARÉ surge como uma alusão à forma que encaramos e estereotipamos o híbrido deste modo de se relacionar. Uma metáfora sobre a modificação, sobre os diversos níveis, sobre as intensidades e profundidades deste sentimento tão complexo.

Maré – CIDA: Coletivo Independente Dependente de Artistas (RN)

,

Transpor as nuances do amor para a cena é o início de tudo. MARÉ surge como uma alusão à forma que encaramos e estereotipamos o híbrido deste modo de se relacionar. Uma metáfora sobre a modificação, sobre os diversos níveis, sobre as intensidades e profundidades deste sentimento tão complexo.

(Eu)Fêmea – Rozeane Oliveira – CIDA: Coletivo Independente Dependente de Artistas (RN)

,

O SER MULHER em constante mutação que sublinha ora a precariedade e o nomadismo da consciência e da existência ora as aleluias e as agonias desse ser. Carrega para si o empoderamento e firmeza do seu (Eu) que impulsiona a Fêmea no íntimo do olhar.

La Razón Blindada – Malayerba (Equador)

,

A obra é baseada em “Dom Quixote” de Cervantes, “A verdade sobre Sancho Pança” de F. Kafka, e nas narrações que fizeram Chicho Vargas e outros presos políticos da ditadura argentina dos anos 70, nas imediações da prisão de Rawson.

Danação – Eduardo Moreira (MG)

,

Um homem narra memórias do tempo vivido por ele dentro do coração de uma mulher, onde conviveu com uma menina que se escondia da morte. Mas nada parece estar evidenciado na memória dele, que se empenha no exercício de lembrar e inventar formas de contar essa história

Rei Lear – Remo Produções Artísticas (PE)

,

Esta obra-prima trágica é encenada apenas com três atrizes vivendo dezenas de personagens em diálogo com trilha sonora ao vivo - um encontro entre a música eletrônica e a música popular. A trama discorre sobre o monarca da Bretanha que, ao chegar à velhice, se vê obrigado a dividir o reino entre suas três filhas.

Nuestra Señora de las Nubes – Malayerba (Equador)

,

A obra tem dois personagens protagônicos: Oscar e Bruna. Eles se encontram por azar em um lugar que não é o deles, em uma terra estranha, e estabelecem uma relação de amizade ao reconhecerem-se como oriundos de um mesmo povoado: Nuestra Señora de las Nubes.

Basta Ter a Coragem – Gaya Dança Contemporânea (RN)

,

O amor e suas várias formas é a base de construção desse espetáculo que nasce dos anseios e das vivências dos intérpretes/bailarinos com o seu ato individual de

DISSOLVA-SE-ME – LUME (SP)

,

DISSOLVA-SE-ME é um espetáculo que fala de esquizofrenia, de limites, de saltos, dança e performance já que ser Wi-Fi cansa! Cansa?

Cartas Para A Alemanha – Elze Maria Barroso (RN)

,

Ao relembrar passagens do término de um relacionamento amoroso, a atriz/performer convida os espectadores a ouvirem seus espaços íntimos e explorar os limites entre o real e o ficcional.

Cortejo de Abertura – Boi Galado (RN) e Boi Marinha (PE)

,

Boi Marinho e Boi Galado se juntam mais uma vez para abrir o mais lindo e querido festival do mundo inteiro. Porque se amam e porque se divertem muito nessa dia...

Circo Alergia – Grupo Garajal (CE)

,

A obra conta a história de um grupo mambembe que usa suas habilidades nas artes circenses para conquistar o seu público, passeando por todos os cantos com sua alegria. Quando um dos palhaços chega atrasado e fica fora dos números como castigo, está armada a confusão que tirará gargalhadas de todo o público.

Tratados de Mim Mesma na Infertilidade – Sociedade T (RN)

,

Com uma abordagem feminista, em cena nos deparamos com um fluxo intenso dos pensamentos de uma mulher fragmentada em quatro personalidades vividas pelos intérpretes Mariana Batista, Rozeane Oliveira, Moisés Ferreira e Pablo Vieira.

Gosto de Flor – Arkhétypos Grupo de Teatro (RN)

,

Quatro homens falando de amor, quatro corpos que dançam suas memórias, suas dores, seus desejos e suas emoções. Entre eles uma flor, que é sentida, cheirada, saboreada, compartilhada e dilacerada num jogo de sedução e desejo... Bocas, corpos e saudades que deixam no ar um gosto de flor...

Alegria de Náufragos – Ser Tão Teatro (PB)

,

Alegria de Náufragos traz em seu centro o emérito professor Nicolai Stepianovitch de Tal, que se depara ao final da sua existência, com uma inevitável análise de si mesmo. Apesar de seu currículo impecável, de ter constituído família e de ser um “homem feliz”, ele gradativamente é submetido a um doloroso processo de falência interior e começa a adquirir clareza sobre o lado patético da sociedade e de suas instituições.

MOSTRA DE PROCESSOS

ATIVIDADES FORMATIVAS – OFICINAS

Mímica corporal dramática – Javier Cencig (Argentina/SP)

Mímica corporal dramática - Javier Cencig (Argentina/SP) Ementa: O objetivo do curso é realizar um treinamento intensivo da gramática corporal desenvolvida por Étienne Decroux – conhecido como Pai da Mímica Moderna -

V@z(adouro) de contradições – Joana Knobbe (SP/RN)

V@z(adouro) de contradições - Joana Knobbe (SP/RN) Ementa: A oficina visa compartilhar a experiência da cantora-compositora com técnicas de canto popular e propriedades do som na voz, associada à prática corporal e

ATIVIDADES FORMATIVAS – MESAS REDONDAS E LEITURA DRAMATIZADA

REALIZADORES